terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Raça: Bengali

A raça:


O cruzamento entre pequenos gatos domésticos e selvagens têm sido documentado há séculos. O Bengali é o resultado do cruzamento dessas duas espécies, sendo que o selvagem era asiático. Assim, o engali é um gato híbrido. Apesar da herança selvagem, essa raça é considerada bastante amável.
Além disso, o Bengali é inteligente, curioso, divertido e se relaciona bem com crianças e adultos. Também mantém um contato bastante sociável com animais de outras espécies. Dentro de suas principais características está o fato dessa raça ser um ótimo caçador e apreciar atividades na água.
Seu temperamento é dócil, não desafiador, nem intimidante. Esse gato pode exibir temor ou impulso em fugir ou até miar alto em protesto, mas nunca demonstra receio. Os Bengalis são confiantes, amistosos, curiosos e alertas. Ótimos como companhia dentro de casa. 






História:

O Bengali desenvolveu-se a partir de um programa americano de 1963, em que a geneticista Jean Sugden cruzou um macho doméstico com uma fêmea de gatopardo asiático, tentando transferir as marcas do gato selvagem para uma raça doméstica. Assim, o Bengali é o único felino híbrido doméstico. 


Entre as décadas de 1960 e 1970 não houve esforço em criar uma raça de gato a partir destes primeiros híbridos, mas surgiram clubes com a intenção de promovê-los. Estes clubes já chamavam de "Bengali" gatos derivados do leopardo asiático. O termo foi criado por William Engler, membro do Clube do Ocelote de Long Island. O termo Bengali deve-se provavelmente ao nome científico do leopardo asiático (Felis prionailurus bengalensis).


Após quase 40 anos do surgimento dos primeiros animais da raça, é hoje uma raça reconhecida pelas principais organizações internacionais de criadores – CFA (Cat Fanciers Association), TICA (The Intenrational Cat Association) e FIFe (Fédération Internationale Féline). No Brasil as primeiras importações de Bengalis ocorreram de forma isolada por volta de 1995 e a criação acontece desde 1997.


A era do entusiasmo pela raça iniciou-se em 1985, quando Jean Mill apareceu exibindo seus Bengalis, em exposições da TICA, na categoria "New Breed and Color". Rapidamente a raça tornou-se o pet nacional nos EUA, ganhando em popularidade de raças mais tradicionais.


Com a popularidade da raça e do número de criadores em ascensão, foi criada na TICA a "Seção Bengali", para a definição dos standards da raça. Em maio de 1992 a raça foi reconhecida pela TICA. Em 1997, foi dado o reconhecimento pela CFA.


A meta do programa de desenvolvimento da raça é criar um gato doméstico que possua as mesmas características físicas diferenciadas dos pequenos gatos selvagens habitantes de florestas, porém preservando o temperamento dócil e confiável do gato doméstico. 


Com aparência de fera, possui porte de médio a grande. Seu corpo é musculoso e insinuante, tem os quadris levemente mais elevados do que os ombros. Além disso, sua cabeça é cuneiforme com contornos arredondados e um pouco mais comprida do que larga. 




Revista Mundo Gato

3 comentários:

  1. Amo esses danadinhos!
    Amei o blog! Abçu!!

    ResponderExcluir
  2. Eles são lindos. Eu conheço dois e ambos são "mijões"... será que é genético?
    Oncinhas lindas!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. PARABÉNS PELA REVISTA E INICIATIVA!
    VCS TÊM A REVISTA IMPRESSA TBÉM?
    ABS
    KARINA.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar na Revista, volte sempre!