quinta-feira, 10 de março de 2011

Gatos Famosos - Mingau (Turma da Mônica)



História:
 Mingau, o gato de estimação da Magali, é da raça angorá. Ele é mimoso como a dona, embora não tenha o mesmo apetite.
Inteligente e esperto, participa ativamente da vida da casa, da família, com sua graça e elegância. Todos o adoram, menos o pai da Magali, pois ele tem alergia a pêlos de gato. Nas histórias em quadrinhos, o Mingau se comporta exatamente como um bichano doméstico. Daí seu encanto.
O nome Mingau foi criado em 1989 em um concurso em que leitores podiam opinar o nome do gato.
A primeira aparição do felino foi na edição 1 da revista da Magali pela editora Globo. Segundo a história, Mingau foi encontrado na rua pela Magali. Entretanto, outra história mostra que o gato foi dado de presente pela Mônica.


Os seis gatinhos:


Os seis irmãos do Mingau que aparecem de vez em quando na casa de Magali. A primeira história de 1994 conta o paradeiro de cada gatinho, já que todos nasceram da mesma ninhada: Matias, o "aventureiro", virou gato de bordo; Nestor, o "curtidor", virou gato de beco; Tita, a "trabalhadora", virou gata de fazenda; Percival, o "esquisito", virou gato de bruxa; Lili, a "fresca", virou gata de madame; e o Mingau, na casa de Magali.

Capas e Tirinhas:








Revista Mundo Gato

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Participação dos leitores: Seu gato dorme em lugares estranhos?

A partir dessa edição, começaremos a propor matérias interativas aos nossos leitores. Afinal, a revista é feita para vocês, e agora também será feita por vocês, amantes de felinos.

A primeira matéria terá o tema:

 Seu gato dorme em lugares estranhos? 

Mande um e-mail para:

revistamundogato@hotmail.com

Com os lugares estranhos que seu gato dorme, conte como tudo começou, quando ele vai pra lá, porque ele dorme lá, conte-nos tudo sobre os lugares inusitados que seu bichano gosta de dormir!

Se possível, mande uma foto dele também, no lugar que você descrever no e-mail, ou  uma foto qualquer  para conhecermos a carinha do seu gato :)

A matéria será publicada, assim que tivermos um bom número de participações.
Conto com a participação de todos!

Revista Mundo Gato

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Raça: Bengali

A raça:


O cruzamento entre pequenos gatos domésticos e selvagens têm sido documentado há séculos. O Bengali é o resultado do cruzamento dessas duas espécies, sendo que o selvagem era asiático. Assim, o engali é um gato híbrido. Apesar da herança selvagem, essa raça é considerada bastante amável.
Além disso, o Bengali é inteligente, curioso, divertido e se relaciona bem com crianças e adultos. Também mantém um contato bastante sociável com animais de outras espécies. Dentro de suas principais características está o fato dessa raça ser um ótimo caçador e apreciar atividades na água.
Seu temperamento é dócil, não desafiador, nem intimidante. Esse gato pode exibir temor ou impulso em fugir ou até miar alto em protesto, mas nunca demonstra receio. Os Bengalis são confiantes, amistosos, curiosos e alertas. Ótimos como companhia dentro de casa. 






História:

O Bengali desenvolveu-se a partir de um programa americano de 1963, em que a geneticista Jean Sugden cruzou um macho doméstico com uma fêmea de gatopardo asiático, tentando transferir as marcas do gato selvagem para uma raça doméstica. Assim, o Bengali é o único felino híbrido doméstico. 


Entre as décadas de 1960 e 1970 não houve esforço em criar uma raça de gato a partir destes primeiros híbridos, mas surgiram clubes com a intenção de promovê-los. Estes clubes já chamavam de "Bengali" gatos derivados do leopardo asiático. O termo foi criado por William Engler, membro do Clube do Ocelote de Long Island. O termo Bengali deve-se provavelmente ao nome científico do leopardo asiático (Felis prionailurus bengalensis).


Após quase 40 anos do surgimento dos primeiros animais da raça, é hoje uma raça reconhecida pelas principais organizações internacionais de criadores – CFA (Cat Fanciers Association), TICA (The Intenrational Cat Association) e FIFe (Fédération Internationale Féline). No Brasil as primeiras importações de Bengalis ocorreram de forma isolada por volta de 1995 e a criação acontece desde 1997.


A era do entusiasmo pela raça iniciou-se em 1985, quando Jean Mill apareceu exibindo seus Bengalis, em exposições da TICA, na categoria "New Breed and Color". Rapidamente a raça tornou-se o pet nacional nos EUA, ganhando em popularidade de raças mais tradicionais.


Com a popularidade da raça e do número de criadores em ascensão, foi criada na TICA a "Seção Bengali", para a definição dos standards da raça. Em maio de 1992 a raça foi reconhecida pela TICA. Em 1997, foi dado o reconhecimento pela CFA.


A meta do programa de desenvolvimento da raça é criar um gato doméstico que possua as mesmas características físicas diferenciadas dos pequenos gatos selvagens habitantes de florestas, porém preservando o temperamento dócil e confiável do gato doméstico. 


Com aparência de fera, possui porte de médio a grande. Seu corpo é musculoso e insinuante, tem os quadris levemente mais elevados do que os ombros. Além disso, sua cabeça é cuneiforme com contornos arredondados e um pouco mais comprida do que larga. 




Revista Mundo Gato